SEJA BEM VINDO AO LIMOEIRO EM FOCO
Ariano Vilar Suassuna nasceu em Nossa Senhora das Neves, hoje João Pessoa (PB), no dia 16 de junho de 1927, filho de Cássia Vilar e João Suassuna. No ano seguinte, seu pai deixa o governo da Paraíba e a família passa a morar no Sertão, na Fazenda Acauã, em Aparecida, Paraíba.

Com a Revolução de 1930, seu pai foi assassinado por motivos políticos no Rio de Janeiro e a família mudou-se para Taperoá, onde morou de 1933 a 1937. Nessa cidade, Ariano fez seus primeiros estudos e assistiu pela primeira vez a uma peça de mamulengos e a um desafio de viola, cujo caráter de “improvisação” seria uma das marcas registradas também da sua produção teatral.

A partir de 1942 passou a viver no Recife, onde terminou, em 1945, os estudos secundários no Ginásio Pernambucano, no Colégio Americano Batista e no Colégio Osvaldo Cruz. No ano seguinte iniciou a Faculdade de Direito, onde conheceu Hermilo Borba Filho. E, junto com ele, fundou o Teatro do Estudante de Pernambuco. Em 1947, escreveu sua primeira peça, Uma Mulher Vestida de Sol. Em 1948, sua peça Cantam as Harpas de Sião (ou O Desertor de Princesa) foi montada pelo Teatro do Estudante de Pernambuco. Os Homens de Barro foi montada no ano seguinte.

Em 1950, formou-se na Faculdade de Direito e recebeu o Prêmio Martins Pena pelo Auto de João da Cruz. Para curar-se de doença pulmonar, viu-se obrigado a mudar-se de novo para Taperoá. Lá escreveu e montou a peça Torturas de um Coração em 1951. Em 1952, volta a residir em Recife. Deste ano a 1956, dedicou-se à advocacia, sem abandonar, porém, a atividade teatral. São desta época O Castigo da Soberba (1953), O Rico Avarento (1954) e o Auto da Compadecida (1955), peça que o projetou em todo o país e que seria considerada, em 1962, por Sábato Magaldi “o texto mais popular do moderno teatro brasileiro”.

Em 1956, abandonou a advocacia para tornar-se professor de Estética na Universidade Federal de Pernambuco. No ano seguinte foi encenada a sua peça O Casamento Suspeitoso, em São Paulo, pela Cia. Sérgio Cardoso, e O Santo e a Porca; em 1958, foi encenada a sua peça O Homem da Vaca e o Poder da Fortuna; em 1959, A Pena e a Lei, premiada dez anos depois no Festival Latino-Americano de Teatro.

Em 1959, em companhia de Hermilo Borba Filho, fundou o Teatro Popular do Nordeste, que montou em seguida a Farsa da Boa Preguiça (1960) e A Caseira e a Catarina (1962). No início dos anos 60, interrompeu sua bem-sucedida carreira de dramaturgo para dedicar-se às aulas de Estética na UFPE. Ali, em 1976, defende a tese de livre-docência A Onça Castanha e a Ilha Brasil: Uma Reflexão sobre a Cultura Brasileira. Aposenta-se como professor em 1994.

Membro fundador do Conselho Federal de Cultura (1967); nomeado, pelo Reitor Murilo Guimarães, diretor do Departamento de Extensão Cultural da UFPE (1969). Ligado diretamente à cultura, iniciou em 1970, em Recife, o “Movimento Armorial”, interessado no desenvolvimento e no conhecimento das formas de expressão populares tradicionais. Convocou nomes expressivos da música para procurarem uma música erudita nordestina que viesse juntar-se ao movimento, lançado em Recife, em 18 de outubro de 1970, com o concerto “Três Séculos de Música Nordestina – do Barroco ao Armorial” e com uma exposição de gravura, pintura e escultura. Secretário de Cultura do Estado de Pernambuco, no Governo Miguel Arraes (1994-1998).

Entre 1958-79, dedicou-se também à prosa de ficção, publicando o Romance d’A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta (1971) e História d’O Rei Degolado nas Caatingas do Sertão / Ao Sol da Onça Caetana (1976), classificados por ele de “romance armorial-popular brasileiro”.

Ariano Suassuna construiu em São José do Belmonte, onde ocorre a cavalgada inspirada no Romance d’A Pedra do Reino, um santuário ao ar livre, constituído de 16 esculturas de pedra, com 3,50 m de altura cada, dispostas em círculo, representando o sagrado e o profano. As três primeiras são imagens de Jesus Cristo, Nossa Senhora e São José, o padroeiro do município.

Membro da Academia Paraibana de Letras e Doutor Honoris Causa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2000).

Em 2004, com o apoio da ABL, a Trinca Filmes produziu um documentário intitulado O Sertão: Mundo de Ariano Suassuna, dirigido por Douglas Machado e que foi exibido na Sala José de Alencar.

Em 2002, Ariano Suassuna foi tema de enredo no carnaval carioca na escola de samba Império Serrano; em 2008, foi novamente tema de enredo, desta vez da escola de samba Mancha Verde no carnaval paulista. Em 2013 sua mais famosa obra, o Auto da Compadecida será o tema da escola de samba Pérola Negra em São Paulo.

Em 2006, foi concedido título de doutor honoris causa pela Universidade Federal do Ceará, mas que veio a ser entregue apenas em 10 de junho de 2010, às vésperas de completar 83 anos. "Podia até parecer que não queria receber a honraria, mas era problemas de agenda", afirmou Ariano, referindo-se ao tempo entre a concessão e o recebimento do título.2

Ariano Suassuna é um torcedor fanático do Sport Club do Recife.3

Estudos

Em 1942, ainda adolescente, Ariano Suassuna muda-se para cidade do Recife, no vizinho estado de Pernambuco, onde passou a residir definitivamente. Estudou o antigo ensino ginasial no renomado Colégio Americano Batista, e o antigo colegial (ensino médio), no tradicionalíssimo Ginásio Pernambucano e, posteriormente, no Colégio Oswaldo Cruz. Posteriormente, Ariano Suassuna concluiu seu estudo superior em Direito (1950), na célebre Faculdade de Direito do Recife, e em Filosofia (1964).

De formação calvinista e posteriormente agnóstico, converteu-se ao catolicismo, o que viria a marcar definitivamente a sua obra.4

Ariano Suassuna estreou seus dons literários precocemente no dia 7 de outubro de 1945, quando o seu poema "Noturno" foi publicado em destaque no Jornal do Commercio do Recife.

Advocacia e teatro

Na Faculdade de Direito do Recife, conheceu Hermilo Borba Filho, com quem fundou o Teatro do Estudante de Pernambuco. Em 1947, escreveu sua primeira peça, Uma mulher vestida de Sol. Em 1948, sua peça Cantam as harpas de Sião (ou O desertor de Princesa) foi montada pelo Teatro do Estudante de Pernambuco. Seguiram-se Auto de João da Cruz, de 1950, que recebeu o Prêmio Martins Pena, o aclamado Auto da Compadecida, de 1955, O Santo e a Porca - O Casamento Suspeitoso, de 1957, A Pena e a Lei, de 1959, A Farsa da Boa Preguiça, de 1960, e A Caseira e a Catarina, de 1961.

Entre 1951 e 1952, volta a Sousa, para curar-se de uma doença pulmonar. Lá escreveu e montou Torturas de um coração. Em seguida, retorna a Recife, onde, até 1956, dedica-se à advocacia e ao teatro.

Em 1955, Auto da Compadecida o projetou em todo o país. Em 1962, o crítico teatral Sábato Magaldi diria que a peça é "o texto mais popular do moderno teatro brasileiro". Sua obra mais conhecida, já foi montada exaustivamente por grupos de todo o país, além de ter sido adaptada para a televisão e para o cinema.

Em 1956, afasta-se da advocacia e se torna professor de Estética da Universidade Federal de Pernambuco, onde se aposentaria em 1994. Em 1976, defende sua tese de livre-docência, intitulada "A Onça castanha e a Ilha Brasil: uma reflexão sobre a cultura brasileira".

Ariano acredita que: "Você pode escrever sem erros ortográficos, mas ainda escrevendo com uma linguagem coloquial."

Movimento Armorial
Para maiores informações acesse o artigo completo sobre o Movimento Armorial.

Ariano foi o idealizador do Movimento Armorial, que tem como objetivo criar uma arte erudita a partir de elementos da cultura popular do Nordeste Brasileiro. Tal movimento procura orientar para esse fim todas as formas de expressões artísticas: música, dança, literatura, artes plásticas, teatro, cinema, arquitetura, entre outras expressões.

Obras de Ariano Suassuna já foram traduzidas para inglês, francês, espanhol, alemão, holandês, italiano e polonês.5

Academia Pernambucana de Letras
Em 1993, foi eleito para a cadeira 18 da Academia Pernambucana de Letras, cujo patrono é o escritor Afonso Olindense.

Lorbeerkranz.png Academia Brasileira de Letras
Desde 1990, ocupa a cadeira 32 da Academia Brasileira de Letras, cujo patrono é Manuel José de Araújo Porto Alegre, o barão de Santo Ângelo.

Academia Paraibana de Letras
Assumiu a cadeira 35 na Academia Paraibana de Letras em 9 de outubro de 2000, cujo patrono é Raul Campelo Machado, sendo recepcionado pelo acadêmico Joacil de Brito Pereira.

Obras selecionadas
Uma mulher vestida de Sol, (1947);
Cantam as harpas de Sião ou O desertor de Princesa, (1948);
Os homens de barro, (1949);
Auto de João da Cruz, (1950);
Torturas de um coração, (1951);
O arco desolado, (1952);
O castigo da soberba, (1953);
O Rico Avarento, (1954);
Auto da Compadecida, (1955);
O casamento suspeitoso, (1957);
O santo e a porca, (1957);
O homem da vaca e o poder da fortuna, (1958);
A pena e a lei, (1959);
Farsa da boa preguiça, (1960);
A Caseira e a Catarina, (1962);
As conchambranças de Quaderna, (1987);
Fernando e Isaura, (1956)"inédito até 1994".

Romance

A História de amor de Fernando e Isaura, (1956);
O Romance d'A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta, (1971);
História d'O Rei Degolado nas caatingas do sertão /Ao sol da Onça Caetana, (1976)
Palestras
Defesa contra a teoria da evolução.

Poesia

O pasto incendiado, (1945-1970);
Ode, (1955);
Sonetos com mote alheio, (1980);
Sonetos de Albano Cervonegro, (1985);
Poemas (antologia), (1999).
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) publicou nesta terça-feira (21) no sistema de registro de candidaturas das eleições os nomes de todas as pessoas que pediram registro para concorrer ao pleito. De acordo com o levantamento, 24,9 mil candidatos devem disputar vagas de deputado federal, estadual e distrital, senador, governador e presidente da República. O número inclui suplentes de senador e vices aos governos estaduais e à Presidência da República.

Segundo informações do DivulgaCand, sistema do TSE que centraliza as candidaturas, o número maior de candidatos é para o cargo de deputado estadual (16,2 mil). Para deputado federal, são 6,7 mil. No Distrito Federal foram registradas mil candidaturas ao cargo de deputado distrital e 181 candidaturas foram recebidas para senador, primeiro e segundo suplentes. Nos estados, são 171 candidatos a governador e vice. Onze candidatos vão disputar as vagas de presidente da República e 11, de vice-presidente.
Em outubro estarão em disputa 1.059 vagas para deputado estadual. Na Câmara dos Deputados serão eleitos 513. Vinte e sete (um terço) das 81 cadeiras no Senado estão em disputa. A Casa renova alternadamente a cada eleição um terço e dois terços dos parlamentares. Para deputado distrital, são 24 cadeiras.

O número poderá ser atualizado até o dia da eleição, pois os pedidos de registro ainda serão julgados pelos juízes eleitorais e novas informações devem ser recebidas nos tribunais regionais eleitorais.  Após a decisão da Justiça Eleitoral, os candidatos estão aptos a concorrer. Além disso, as coligações podem mudar os candidatos que escolheram.

A entrega do registro não garante a participação do político nas eleições. Após parecer do Ministério Público Eleitoral (MPE), os pedidos são julgados por um juiz eleitoral, que verifica se as formalidades foram cumpridas.

Até o momento, o MPE já impugnou 1.850 registros de candidaturas às eleições em todo o país. Cerca de 20% (367) foram com base na Lei da Ficha Limpa, que impede a candidatura de condenados em segunda instância pela Justiça. O número de impugnações deve aumentar até o levantamento final, previsto para o fim deste mês.

Para estar apto a concorrer às eleições de outubro e ter o registro deferido pela Justiça Eleitoral, além de não se enquadrar na Lei da Ficha Limpa, os candidatos devem apresentar declaração de bens, certidões criminais emitidas pela Justiça, certidão de quitação eleitoral que comprove inexistência de débito de multas aplicadas de forma definitiva, entre outros documentos, como previsto na Lei das Eleições (Lei 9.504/97).

O primeiro turno do pleito deste ano será em 5 de outubro. O segundo está marcado para o dia 26, nos casos de eleições para governador ou à Presidência da República em que o primeiro colocado não obtiver 51% dos votos válidos, excluídos os brancos e nulos.

Do Ne10
No último dia 18, o auditório da FACAL foi palco para 5ª reunião ordinária do Fórum estadual de Pernambuco da EJA – Educação de Jovens e Adultos que teve como objetivo a discussão sobre currículo, diversidade e os parâmetros curriculares de Pernambuco para o EJA. Após Limoeiro sediar o Fórum estadual seguirá para a cidade de Salgueiro, nos dias 13 a 15 de agosto.

O encontro contou com a participação de representantes dos municípios da área metropolina do Estado e Agreste. A abertura ficou por conta da secretária de Educação de Limoeiro, Rosejara Ramos que enfatizou a satisfação em poder sediar esse importante fórum estadual que discutiu as políticas públicas de educação de jovens e adultos. “Isso mostra o avanço e respaldo do município de Limoeiro, nas políticas educacionais em todos os níveis de ensino, com o congregamento de forças na instância Estadual e Regional culminando neste intercâmbio. Temos que sempre discutir melhorias para as políticas públicas, especialmente para esta fatia da sociedade que na idade própria não foi alfabetizada e escolarizada. Isso é resgatar a dignidade e respeito da nossa gente” disse a secretária.

Um dos palestrantes, a professora de políticas públicas (UFPE), Iagrice Lima discutiu sobre a organização curricular e práticas pedagógicas que atendam a EJA, além de trazer importantes reflexões sobre o olhar diferenciado para educação de jovens e adultos. “Temos que perceber o aluno enquanto sujeito social ser capaz de modificar sua realidade, atendendo as novas demandas para isso é necessário adequar a forma de educar para que, o aprendizado, seja algo significativo e concreto” falou Iagrice.

Durante o intercâmbio foi apresentado relatos de alunos da EJA, como exemplo o aluno João Francisco da Escola João Heráclio Duarte, em Limoeiro. Ele comentou de sua felicidade em poder voltar a estudar e perceber como a educação é transformadora. “A Educação de Jovens e Adultos veio pra ficar, ela veio abrir caminhos, para quem quiser trilhar, graças aos nossos professores que mostrando seus valores, veio aqui nos ensinar” disse o aluno em forma de cordel.
Na manhã desta segunda-feira (21), manifestantes realizaram um protesto na BR-408, na comunidade de Constatino, nas proximidades do município de São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana do Recife (RMR).

De acordo com o Plantão da Polícia Rodoviária Federal (PRF), moradores do local teriam interditado a via com entulhos em chamas por volta das 6h30, exigindo das autoridades a instalação de lombadas eletrônicas, devido ao grande número de acidentes e atropelamentos na rodovia.

A PRF informou ainda que o protesto foi encerrado de forma pacífica por volta das 7h20. Durante o ato, o trânsito teria sofrido uma retenção em uma das faixas, mas liberado com a chegada da Polícia.
Berço do crescimento e consolidação da economia pernambucana, a Mata Sul voltou a receber a atenção do candidato ao governo de Pernambuco, Armando Monteiro (PTB), que neste domingo (20) esteve ao lado de seu vice, Paulo Rubem (PDT), para uma agenda com lideranças políticas da região, em Sirinhaém. No município, Armando garantiu que vai conceder incentivos inteligentes para a construção de distritos industriais na Mata Sul, como alternativa econômica à dependência da tradicional cultura agrícola. Segundo Armando, seu programa de governo vai construir as bases para a recuperação econômica da região, combinando o fomento e o desenvolvimento de várias ações para a localidade, aliadas às políticas e o apoio do governo federal.

O anúncio foi feito durante reunião com o ex-prefeito de Sirinhaém, Fernando Urquiza (PTB), que renovou o apoio às candidaturas de Armando e Paulo Rubem, à de João Paulo (PT) ao Senado, e à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT). Aos mais de 500 moradores que presenciaram o ato, Armando prometeu recuperar o acesso viário que liga a sede do município ao distrito de Santo Amaro, através da PE-61, revitalizando um trecho de quatro quilômetros de extensão.

Para Armando, seu governo vai trabalhar para levar indústrias para a Mata Sul, desconcentrando a geração de emprego. "Vamos criar infraestrutura, fazer um mutirão com recursos do governo federal e vamos fazer uma política de incentivos inteligentes para garantir que as fábricas possam chegar, gerando empregos de boa qualidade para os jovens e adultos", prometeu o candidato a governador.

"Nosso compromisso é desenvolver um programa de soerguimento da Zona da Mata, combinando o apoio às atividades tradicionais, o fomento e desenvolvimento de várias alternativas econômicas que podem ser desenvolvidas aqui, aos investimentos na infraestrutura, na ampliação dos programas de qualificação e capacitação da mão de obra", listou Armando.

Na reunião, o ex-prefeito Fernando Urquiza, que administrou Sirinhaém por dois mandatos, convocou a população para se engajar na campanha de Armando Monteiro ao governo do Estado. "Meu projeto é o de Armando. E Sirinhaém tem que se juntar a esse projeto. O município precisa de mais segurança, educação e saúde", conclamou o petebista.

Dirigindo a palavra ao prefeito de Água Preta, Armando Souto (PDT), que acompanhou o ato político, o candidato a vice Paulo Rubem lembrou a luta do aliado para vencer a eleição em 2012 e o pleito suplementar em 2013. "Acompanhei o que houve em Água Preta. Eles tentaram fazer da eleição uma pizza. Mas Armando Souto transformou a pizza em tapioca dobrada, ganhando a eleição duas vezes, contra o governo. E foi meu amigo em todas as horas para trazer o PDT para essa aliança com Armando Monteiro e a presidente Dilma", disse.

MAIS APOIOS - Os candidatos Armando Monteiro e João Paulo também conquistaram neste final de semana dois importantes apoios ao governo do Estado e ao Senado. Tratam-se do ex-deputado estadual e ex-prefeito de Joaquim Nabuco, Marcos Barreto, e o candidato à Assembleia Legislativa, Júnior Barreto. Embora filiados ao PP, partido que integra a Frente Popular, Marcos e Júnior decidiram subir no palanque de Armando por considerá-lo mais preparado para conduzir os destinos do Estado e reativar a economia da Zona da Mata Sul. Eles têm forte atuação na região, sobretudo nos municípios de Palmares e Água Preta.
Depois da feira, a comitiva seguiu para a inauguração do comitê regional do Agreste. Lideranças de toda a região, entre prefeitos, vices, ex-prefeitos, deputados e ex-deputados, dividiam espaço com a militância, mostrando a unidade construída em torno da Frente Popular. Não por acaso, todos os discursos ressaltaram o exemplo da própria Caruaru, onde todos os grupos significativos - o de José Queiroz, o de João Lyra Neto e o do deputado Tony Gel (PMDB) - deixaram as diferenças locais de lado, para compor um único palanque na eleição estadual. 

"Fico extremamente feliz de ver esse conjunto de forças que nos apóia. Estamos fazendo algo que poucos acreditavam que conseguíssemos: estamos unindo Pernambuco pelo bem de Pernambuco. Por isso que nossos adversários não querem que façamos nossa campanha. Porque sabem que temos o melhor time e as melhores propostas. Mas não adianta, já colocamos nossa campanha na rua e, com a ajuda de cada um aqui, vamos seguir divulgando nossos nomes e nossas ideias. Fizemos muito nesses sete anos e meio, e é por isso que eu sei que podemos fazer ainda mais", discursou Paulo.

Tendo nascido e construído sua carreira política a partir do município, João Lyra destacou que era a primeira vez que discursava em um ato político em Caruaru, depois de ter se tornado governador. O substituto de Eduardo Campos lembrou a história caruaruense de lutas libertárias, citando as mobilizações pelas Diretas Já e a eleição de Tancredo Neves, e revelou qual a marca pela qual quer ser reconhecido após deixar o Governo. "Minha marca será a de ter ajudado a construir este novo Pernambuco. Em dezembro, farei como Eduardo fez em abril: deixarei o cargo com a consciência limpa de que mudamos a face do Estado. E, para dar continuidade e avançar ainda mais nesse trabalho, só existe uma opção, que é eleger Paulo Câmara", avaliou o gestor.

Presidente estadual do PDT, partido que, por decisão de seu diretório nacional, faz parte da chapa oposicionista, José Queiroz fez questão de deixar claro de que lado está. "É apostando nessa renovação iniciada por Eduardo, que trouxe o progresso e a união para Pernambuco, que continuamos fechados com Paulo, independente da posição de nosso partido. Garanto a vocês, vou trabalhar mais pela eleição deste jovem gestor do que trabalhei na minha própria. Estou aqui como presidente do meu partido e a ele darei minha resposta, com a vitória da Frente Popular", prometeu. Seu filho, o deputado federal Wolney Queiroz (PDT), resumiu o sentimento dos pedetistas, avaliando que "levaram a camisa, mas os jogadores continuam aqui".

"Estamos dando um tiro na intriga daqueles que disseram que não haveria como unir Caruaru, que nem haveria campanha aqui. Eles até tentaram. Fizeram a convenção deles aqui. Foi bom, porque teve uma resposta. A resposta está aqui, neste palanque onde figuram todas as lideranças caruaruenses. A catedral política do Interior vai falar alto para todo Pernambuco", comemorou Fernando Bezerra Coelho.
Entre os dias 19 e 20 de Julho no município de Teresópolis, no Rio de Janeiro, estará acontecendo o Campeonato Mundial de Jiu-Jitsu, edição 2014. Neste conceituado campeonato, dessa arte marcial milenar, contará com a presença da Seleção Limoeirense.

Graças ao apoio da Diretoria de Esportes da Prefeitura Municipal de Limoeiro como um dos patrocinadores, os atletas Ayrton da Silva, Ywdson Cavalcante e o campeão mundial Flávio Ogro estarão participando. A torcida fica por conta do faixa preta Flávio Ogro que lutará para conseguir o seu bicampeonato. Ogro é proprietário de uma academia de Jiu-Jitsu na cidade e vem de forma exitosa realizando um trabalho diferenciado no garimpo de novos talentos na área esportiva do Jiu-Jitsu.

Segundo o Diretor de Esportes, Robertinho Galvão, incentivar a prática esportiva em todas as modalidades é uma das ações da diretoria. “Temos incentivado diversas praticas esportivas e não poderíamos esquecer de contribuir com a vitória deste guerreiro Limoeirense que é Flávio Ogro. Ele representa muito bem a garra do nosso povo, iremos ficar na torcida”, disse Galvão.
Foto: Valdir Fotografias - PML
Lama e diversos transtornos causados pela chuva é coisa do passado na vida dos munícipes do bairro da Congal. A Prefeitura Municipal de Limoeiro está realizando uma das maiores obras em calçamento naquela comunidade. Os moradores das ruas Inácia Dutra, Almirante José Heráclio do Rêgo, Josefa Heráclio Duarte e Avenida Manoel Maximiliano Duarte estão satisfeitos com mais uma importante ação do Poder Executivo Municipal.

Segundo a moradora, Severina Manoela, a obra vem contribuir para uma melhor qualidade de vida e locomoção daqueles que ali residem, livrando-os das dificuldades. “Só quem vive aqui 28 anos é quem sabe o valor que tem esse calçamento. Estou muito feliz, não só por mim mais por todos os meus filhos.” Já para o morador Pedro Firmino a ação da secretaria de Infraestrutura provê uma facilidade na vida daqueles que dependem de transporte público e alternativo. “Quantas vezes solicitei um moto táxi, em tempo de chuva, e ele respondia que não iria me atender, só quando estiasse. E o chão estivesse mais seco.”

As obras continuam a todo vapor, em breve, outras ruas também serão contempladas com o calçamento. O Secretário de Infraestrutura, Arthur Filho, falou sobre a particularidade das obras desta natureza. “Não é simplesmente pedra e cimento, este tipo de obra tem um significado muito mais amplo. É a certeza que estamos garantindo que mães e pais de famílias possam ter mais dignidade no seu ir e vir. Esse é o nosso papel, atender as verdadeiras necessidades do povo limoeirense.”
Na tarde deste domingo (20) teve inicio a segunda divisão do campeonato pernambucano  e a equipe do Centro Limoeirense foi até a cidade de Vitória enfrentar a equipe do Timbaúba pela serie A2 do Pernambuco e não saiu do 0X0.

Em um Jogo bastante truncado ambas as equipe buscaram os gols mas, em uma boa atuação de seus goleiros deixaram o jogo empatado, que para a equipe centrista foi um bom resultado pelo motivo de está jogando fora de casa.

O próximo compromisso do Centro Limoeirense será contra o Sete de Setembro na quarta- feira (23) no José Vareda aqui em Limoeiro.

Por: Polline Silva | Blog Meta Bronca


Um automóvel capotou na BR-408, no município de Paudalho, zona da mata de Pernambuco.O carro com três pessoas a bordo seguia no sentido São Lourenço da Mata. Os feridos foram socorridas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).
O candidato a governador da coligação Pernambuco Vai Mais Longe, Armando Monteiro (PTB), se licencia nesta sexta-feira (17) do Senado. Em seu lugar, assume o suplente Douglas Cintra (PTB), que será o primeiro senador da história de Caruaru. Anunciada durante a pré-campanha, a decisão foi concretizada após dois projetos de lei que tinham Armando como relator serem aprovados no Senado.

Garantindo benefícios às micro e pequenas empresas, o primeiro projeto foi aprovado pelo Plenário do Senado, segue para a sanção da presidente Dilma Rousseff e trata da limitação do uso do sistema de substituição tributária para as pequenas empresas adeptas do Simples Nacional. Especialmente em Pernambuco, os micros e pequenos empresários vêm sendo taxados antecipadamente, trazendo inúmeros prejuízos ao setor.

“A substituição tributária aumenta o preço dos produtos. Então, com a aprovação da matéria, ganham os micros e pequenos empresários, que passam a operar com uma carga tributária menor, quanto os consumidores, pois, ao desonerar as empresas, abre-se a possibilidade de redução de preço dos bens e serviços oferecidos à população”, destacou Armando.

Além disso, o prazo mínimo para o recolhimento de ICMS para quem estiver sob o regime de substituição tributária passa a ser de 60 dias. O relatório de Armando ainda incluiu novos setores beneficiados pelo Simples Nacional, como medicina, odontologia, advocacia, despachantes, corretagem, psicologia e fisioterapia.

APOIO ÀS PREFEITURAS – O outro projeto relatado por Armando foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e trata do aumento do repasse das cotas do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), que garante, na prática, mais recursos para as prefeituras brasileiras. Nos próximos dois anos, o FPM será ampliado de 23,5% para 24,5% - ou seja, um acréscimo de 0,5% por ano. A matéria vai agora para o Plenário e, se aprovada, para a Câmara Federal.

O parecer original do senador defendia o acréscimo de meio ponto percentual de forma a ter continuidade ao longo de mais dois períodos, obtendo um ganho permanente de dois pontos percentuais do Fundo ao final de quatro anos. Não foi possível desta forma, mas Armando salientou que foi um início levando-se em conta a urgência em torno da matéria para os municípios.

“Estamos fazendo isso de forma responsável e não abruptamente. Trata-se de fixar prazo para o ajuste paulatino das contas da União ao aumento do aporte em prol dos tesouros municipais de forma a manter os compromissos com a responsabilidade fiscal e com o controle da inflação”, destacou Armando.
O padrão de tomadas é diferente em vários países, no Brasil, o padrão era de tomadas com apenas dois pinos, mas em 2013 ele foi mudado e as tomadas começaram a ser fabricadas somente com três pinos, ou seja, todos os eletrodomésticos e demais produtos eletrônicos que fossem fabricados de 2013 para frente teriam que possuir a tomada com os três pinos, mas isso acabou irritando muitas pessoas, afinal de contas como o padrão anterior tinha apenas dois pinos, as tomadas de suas casas tinham apenas entrada para os mesmos e não para três pinos, ou seja, eles teriam que trocar todas as tomadas de suas casas ou então comprar plugs para poder utilizar os novos eletrodomésticos e demais aparelhos eletrônicos, porém a maioria das pessoas acabou não optando por nenhuma dessas alternativas e sim começaram a retirar o terceiro pino para poder assim utilizar os aparelhos que quisessem sem gastar muito com isso.

As tomadas de três pinos não foram feitas somente para dificultar a vida dos brasileiros, há uma boa razão em colocar o terceiro pino nas mesmas. O terceiro pino, ou pino de aterramento serve para dissipar uma possível sobrecarga na rede elétrica que poderia danificar os circuitos do aparelho ou até mesmo provocar um choque em quem o está utilizando por meio do fio terra. Então sabendo que há uma razão para este terceiro pino, agora vem uma boa pergunta, será que ao arrancar o terceiro pino nós não danificamos o aparelho eletrônico que utilizamos? Pois bem, neste artigo você ficará sabendo exatamente isso. 

A Utilidade do Terceiro Pino

Inúmeros aparelhos eletrônicos, como o chuveiro, o aquecedor, as torneiras elétricas, dentre outros aparelhos, possuem um fio verde cujo objetivo é evitar choques ao usuário e danos ao aparelho em casos de sobrecarga, pois bem, o terceiro pino do novo padrão de tomadas brasileiro possui a mesma função que este fio, então é um componente importante da tomada, sendo assim nos questionamos, sobre o fato de podermos ou não retirar o mesmo para utilizar em nossas tomadas. 

Quebrar o Terceiro Pino pode Danificar o Aparelho Eletrônico?

Na ausência do terceiro pino, caso haja uma sobrecarga na rede a mesma será transferida para o aparelho, pois não terá por onde escoar, e esta sobrecarga pode, sim, acabar danificando o aparelho. Além disso, ao retirar o terceiro pino da tomada de seu aparelho eletrônico você acabará perdendo a garantia do mesmo, pois mesmo que alguma peça do aparelho em questão esteja danificada por outro motivo que não seja a retirada do terceiro pino a integridade do aparelho foi violada pelo fato de você ter quebrado o terceiro pino de sua tomada, então a garantia não poderá cobrir tal defeito ou estrago. 

Existe Algum Modo de Não Danificar o Aparelho ao Retirar o Terceiro Pino?

Sim, existe um modo de tirar o terceiro pino e não danificar o seu aparelho eletrônico, mas a garantia do mesmo não irá valer após isso. Se você possui apenas tomadas com entradas para dois pinos você poderá retirar o terceiro pino da tomada de seu aparelho eletrônico para utilizá-lo tranquilamente. Grande parte das instalações elétricas de residências no Brasil são antigas e, antigamente pouca gente utilizava o aterramento em todas as tomadas da casa. Deste modo, se não existe aterramento na instalação elétrica, não faz sentido haver o terceiro pino, pois não haverá por onde a corrente elétrica adicional ser dissipada. Então, antes de arrancar o terceiro pino de seus aparelhos eletrônicos apenas verifique se todas as tomadas de sua casa possuem entradas somente para dois pinos e não três.

O programa Minha Casa Minha Vida apresenta problemas de estrutura nas cidades de Limoeiro e Surubim, no Agreste de Pernambuco. Os conjuntos não foram completamente construídos em nenhum dos dois municípios. A população começa a querer responsabilizar as Prefeituras pelos prejuízos causados.


Em Limoeiro, falta cerâmica, energia e até água. Já em Surubim, falta a conclusão de 18 apartamentos, que não foram entregues. A empresa responsável pelas obras é a mesma nas duas cidades.

Por: Rádio Jornal
A Justiça Eleitoral de São Paulo determinou às emissoras de rádio e TV, na noite desta terça-feira (15), que retirem do ar imediatamente a propaganda do site de vendas "bomnegocio.com" protagonizada pelo deputado federal Tiririca (PR-SP).

A decisão do juiz Cauduro Padin atende a uma representação do próprio partido. O argumento do advogado do PR, Ricardo Vita Porto, é de que a peça, que também está circulando no Youtube, confere tratamento privilegiado ao parlamentar, que é candidato à reeleição neste ano. A medida busca prevenir a agremiação de uma eventual sanção da Justiça Eleitoral.

Nas últimas eleições, há quatro anos, Tiririca foi o deputado mais votado, com 1,3 milhão de votos pelo Partido da República (PR). Na propaganda, ele sugere ao personagem do comercial que deixe sua "mulher véia, nojenta, mocreia".

Ricardo Vita Porto invoca o artigo 45 da Lei 9.504/97, que proíbe as emissoras, a partir de 1º de julho do ano eleitoral, de dar tratamento privilegiado a algum candidato ou transmitir algum programa apresentado ou comentado pelo candidato em sua programação normal e noticiário.

"Diante de tal possibilidade, e das consequências que uma eventual violação ao dispositivo legal possa acarretar não só para o candidato, mas, também, para o ora Requerente (o partido), vem o Representante perante esta Eg. Corte requerer, caso entenda que de fato a conduta questionada está em desacordo com as normas eleitorais vigentes, seja  determinada, liminarmente, a imediata suspensão da veiculação do filme publicitário", pede o advogado.

O juiz Cauduro Padin acolheu os argumentos e deferiu a liminar. "Diante destes aspectos presentes se fazem os requisitos necessários à concessão da liminar que fica deferida devendo as emissoras de rádio e televisão serem notificadas a fim de observar a vedação e/ou suspensão de exibição da referida peça publicitária", sentenciou o magistrado.

Por: NaTelinha
Brasília - O relatório do senador Armando Monteiro (PTB-PE) que propõe a recomposição do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, nesta quarta-feira (16). Armando acolheu a emenda do senador Humberto Costa (PT-PE) que prevê o ganho permanente de um ponto percentual do FPM ao final de dois anos. A medida garantiu a aprovação do texto de Armando.

O FPM é formado pelo repasse de recursos do Imposto de Renda (IR) e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). O reforço às finanças municipais deverá ser realizado ao longo de dois anos - 0,5 ponto no primeiro e 0,5 ponto no segundo. Com isso, o repasse total aos municípios, hoje de 23,5%, passaria a 24,5%.

O parecer original do senador defendia o acréscimo de meio ponto percentual de forma a ter continuidade ao longo de mais dois períodos, obtendo um ganho permanente de dois pontos percentuais do Fundo ao final de quatro anos. Não foi possível desta forma, mas Armando salientou que foi um início levando-se em conta a urgência em torno da matéria para os Municípios.

Segundo Armando, a alteração da proposta à Constituição Federal é oportuna, pois busca amenizar a situação de fragilidade fiscal dos municípios.  De acordo com ele, a debilidade das finanças das prefeituras brasileiras, que já era grande antes da crise econômica e financeira de 2008, piorou muito depois que o Governo Federal precisou adotar medidas de redução e isenção tributária para tentar estimular o crescimento econômico.

“Estamos fazendo isso de forma responsável e não abruptamente. Trata-se de fixar prazo para o ajuste paulatino das contas da União ao aumento do aporte em prol dos tesouros municipais de forma a manter os compromissos com a responsabilidade fiscal e com o controle da inflação”, destacou Armando.

Dado divulgado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) mostra que o impacto da ampliação nas contas dos municípios será de R$ 6,8 bi. A matéria segue agora para aprovação em plenário.