Limoeiro
+17...+28° C

Slider[Style1]

Style2

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style5

Style2




Foi dramático e na base do coração. Mas o Bayern de Munique vai realizar o sonho de fazer a final da Liga dos Campeões em sua casa no dia 19 de maio. Após Cristiano Ronaldo e Kaká perderem pênaltis, a equipe conseguiu a vaga sobre o Real Madrid em jogo dramático, após a derrota por 2 a 1 no tempo regulamentar, em pleno Santiago Bernabéu. O goleiro Neuer se tornou o herói da partida. Em dia inspirado, pegou as cobranças das estrelas merengues. Casillas também teve bom desempenho ao impedir o gol de Lahm e Kroos, mas o erro de Sérgio Ramos, que mandou para fora na última cobrança, deu a vaga aos alemães. Dessa forma, o Bayern conseguiu 3 a 1 nas penalidades com gols de Alaba, Mario Gómez e Schweinsteiger. Apenas Xabi Alonso converteu para os madrilenhos.


O time bávaro vai decidir o título da Liga no dia 19 de maio na Allianz Arena, em Munique. O adversário será o Chelsea que eliminou o Barcelona na última terça-feira com um empate por 2 a 2 no Camp Nou. Com a necessidade de fazer o resultado em casa, já que havia perdido o primeiro jogo por 2 a 1, o Real Madrid impôs seu domínio no início da partida. Tinha mais posse de bola, pressionava a saída do Bayern de Munique e usava bem os lados, especialmente com Di Maria. Foi justamente em jogada do argentino que o árbitro assinalou pênalti após a bola bater no braço de Alaba. Cristiano Ronaldo converteu.


O Bayern melhorou na partida e tocava bem a bola no campo ofensivo, especialmente com as saídas dos volantes Luis Gustavo e Schweinsteiger para o ataque. Apesar da evolução, os bávaros levaram o segundo gol graças a uma falha defensiva e à grande atuação de Ozil. O alemão deu belo passe para Cristiano Ronaldo balançar as redes mais uma vez.
O Bayern não se assustou e, mesmo criando menos, teve mais posse de bola que o adversário. Dessa forma, aproveitou que o Real não conseguia marcar Luis Gustavo e Schweinsteiger e pressionou mais até chegar ao gol em pênalti cometido por Pepe. Robben converteu. As duas equipes tentavam jogar e sair para o jogo, deixando a partida equilibrada até o fim do primeiro tempo. O Bayern dominou a posse de bola, mas o Real criou mais chances concretas. No entanto, se atrapalhava porque não consegui variar suas jogadas e parou na boa marcação rival.


O time alemão voltou para o segundo tempo com a mesma postura. Apesar de não ser tão incisivo na finalização, pressionou, manteve a tranquilidade para tocar a bola no chão e distribuir bem as jogadas usando Ribery e Robben pelos lados. Já o Real apresentou grande nervosismo na etapa final, pecou por errar muitos passes e viu estrelas como Di Maria e Ozil caírem de produção. O time de José Mourinho permitiu que os volantes rivais atuassem ofensivamente como meias, mas era perigoso nos contra-ataques e com Kaká, que entrou aos 30 minutos. Nos minutos finais, o jogo ficou dramático.


 O Real deu claros sinais de desgaste físico. Já o Bayern pressionou e tentou matar o jogo, mas não evitou a prorrogação. A bronca de José Mourinho no fim do jogo fez efeito. Na prorrogação, o time da casa ignorou o cansaço e voltou mais focado e jogando com o coração. Conseguiu pressionar a saída de bola do Bayern e levar perigo. Já os alemães não tinham o mesmo rendimento, adotaram uma postura defensiva e pareciam torcer pelas penalidades. Deu certo.


Do UOL, em São Paulo ou Clique aqui

Sobre Jose Wilker

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário


Top